Ser ator/Atriz.

Fala Disconcentrados!

Dia 19 de agosto, é comemorado o dia do Ator, dia do Historiador, dia do fotografo... Aqui vamos chamar de DIA DO AMOR. Para os que não sabem, eu sou apaixonada por história e cheguei a prestar vestibular para a área, mas não passei - era minha segunda opção. Fotografar é meu Hobby, aprender mais sobre exposições, abertura, tempo de cada coisa, flash e registrar momentos especiais. Apesar de quase historiadora e amante das lentes, eu sou - com registro em carteira - ATRIZ! Por vocação, profissão e coração.  

Foto por: Stéfani Inouye


Já fez algo que te desse a sensação de flutuar? Ou a incrivelmente mágica sensação de poder tudo no mundo? É assim que me sinto cada vez que piso nos palcos. É uma sensação de paz interior e tranquilidade, é -particularmente- a certeza de estar no lugar certo. Já sentiu tudo isso?

Desde pequenininha, tenho a constante presença do teatro na minha vida, seja na plateia ou nas montagens que eu preparava para as minhas bonecas e meus pais. Nessa época  eu era a branca de neve, os sete anões, a bruxa e o príncipe. Todos juntos. Tá, não eram exatamente juntos, mas eu já tinha a noção de que toda a ação tem uma reação (seja essa noção voluntária ou não.). Aprendi a desmaiar dramaticamente, com uns 3/4 anos de idade, no chão duro mesmo, sem colchão ou algo para amortecer a queda, me rendeu uns breves roxos, mas muitos risos. Sempre me diverti muito com a alegria de ser varias pessoas em uma.

Quando eu estava na primeira série, - ou era no pré? Não lembro exatamente. - tinha um problema de pensar mais rápido do que escrevia, e assim, continente virou cotineti. E por esse probleminha, eu passei por fonódiologo, oculista e mais alguns outros médicos especialistas e sabe qual foi o diagnóstico? Que eu era super saudável e não tinha problema algum, só muita energia não canalizada. "Mas Luly, o que isso tem haver com o fato de você ser atriz?" Paciência disconcentrados, PACIÊNCIA!

Paralelo a isso, minha mãe fez um curso e conheceu o ator, diretor, escritor e mestre Edgar Rizzo (que faleceu nesse ano {2015} e é alguém que tenho como inspiração pra mim!) e contou a história da garota apaixonada por teatro, desligada do mundo que "comia" letras e sonhava acordada, ele falou para eu ir conhecer o curso onde ele era diretor. Já viu o olhar de uma criança quando ganha um doce? Era exatamente assim que eu estava quando conheci ele e recebi o convite.

Era um sábado de manhã quando eu fui para a minha primeira aula. Não tenho muitas lembranças da aula em si, apenas sei que fizemos exercícios  de aquecimento e jogos teatrais. Como era um período de 4 horas que ficávamos nas aulas, tinha um intervalo no meio. Meus pais, ficaram me esperando no hall de entrada da escola conversando com a inspiradora Malu Lopes (que faleceu também esse ano {2015} e -assim como o Edgar - deixam na minha vida marcas e ensinamentos que só tenho agradecer.) sobre a profissão.

Mãe: 
- E ai, filha? Como está sendo a aula? 
Luiza: 
- Super Legal! Já fez minha matrícula?! 

E foi assim que por volta do dia 10 agosto de 2008 eu entrei oficialmente para uma escola de teatro para estudar e conhecer mais de uma profissão que eu tenho tanto carinho e admiração. Foram 5 anos estudando continuamente, até que por motivos de força maior não pude continuar com as aulas, mas sem deixar de atuar.

Dois anos depois, entrei em um curso com pessoas mais velhas e com uma cabeça "mais amadurecida" e vi o mundo artístico com outros olhos, aquela menininha não estava ali só para "aprender teatro", mas para viver da sua arte. Um ano e quatro meses de muito estudo, tinha gente que jurava que éramos loucos pela bagunça que fazíamos, mas se éramos loucos... éramos loucos felizes.

Nesse meu ultimo curso, tive a oportunidade de trabalhar não só como atriz, mas na parte de produção. Dizem os sábios que "Deus escreve certo por linhas tortas" e eu permito-me completar... Linhas tortíssimas, mas em rumo à algo bom. Por motivos maiores me disponibilizei  (junto com meu pai) a produzir a peça, desde local até a hora que as cortinas se abririam. Foram 4 meses de muita correria, procura um espaço adequado, "Quem pode fazer o figurino?"; "Tem que levar esse material na gráfica!"; "Onde vende X coisa ?". Um trabalho cansativo, que rendeu dias correndo pra cima e pra baixo em busca do melhor resultado.

Apresentamos e tudo aqui que era correria se tornou satisfação e entendimento. Satisfação por ver o resultado e o ouvir os elogios e agradecimentos e entendimento pelo o que aquela correria toda representou pra mim.

Eu sempre soube que seja lá qual fosse a área que eu fosse trabalhar, o ramo das artes e da comunicação estariam fortemente presente e produzir a peça me mostrou o quanto eu gostava da correria de produção e como eu queria aquilo pra minha vida. E foi depois desses meses que eu tive a certeza absoluta de que eu queria fazer Rádio e Tv/ Midialogia/ Imagem e Som... Um curso audiovisual.

No inicio desse ano tive a oportunidade de conhecer o trabalho do ator diante das câmeras, como figurante, porém com um aprendizado tão grande. Os detalhes que o diretor arruma, a movimentação diferenciada, a alma que se encanta.

Desde pequena, ser atriz é meu sonho e desde o dia 21 de fevereiro de 2015 eu sou atriz com DRT (registro profissional), tá lá, anotado na minha carteira de trabalho o meu número de registro profissional! Tem uma frase na porta de uma das salas da faculdade que diz "O ator é um ser humano profissional." ( - Tabori. George, ) e essa frase explica bem a profissão e conta nas entrelinhas, parte da mágica de ser ator.

Olha tudo o que eu já fiz em 10 anos, isso porque eu só contei pra vocês a história por cima, mas sei que não é nem a metade do meu caminho, da minha carreira. Ainda irei sentir muitas e muitas vezes a sensação de pisar nas nuvens ao estar em cima do palco, sentirei uma raiva que não me pertence, mas me empresto para a minha personagem. Compartilharei a loucura e a coragem com os colegas de profissão, agradecerei imensamente a cada um daqueles que passou pelo meu caminho e me ensinou um pouco mais.

Contei essa história por dois motivos: 1- FELIZ DIA DO ATOR! 2- Permita-se Sonhar! 

Você já teve sensações tão mágicas? Você faz teatro? Conta pra mim aqui nos comentários, gosto muito de conhecer histórias assim!

Até mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário