Resenha: Cinderella.

Fala Disconcentrados!

"Eu também sou Cinderela!" é a frase que está conquistando as garotas por ai, mas confesso que depois de sair daquela sala de cinema eu também dei para mim o título de #EuTbSouCinderela e to aqui para contar um pouco do que eu achei do filme.

Era uma vez ... é assim que começam os mais clássicos contos de fadas, e esse não poderia ser diferente. Cinderela é a típica história da garota que perde seus pais, fica sob cuidados de sua madrasta e se torna a "gata borralheira" dela e das suas irmãs postiças. Com ajuda de sua fada madrinha, a mocinha vai ao grande baile que está acontecendo no reino e lá, dança com o príncipe. Porém o relógio do castelo anuncia ser meia noite e a donzela sai correndo, mas deixa para trás seu sapatinho de cristal e o seu príncipe apaixonado procura a jovem o reino inteiro atrás do grande amor da sua vida.


Você já deve conhecer essa história, né? Pois é, mas digamos que, o filme é mais que isso! É  uma aventura mais profunda na história da jovem camponesa Ella, seus pais, sua casa, seus animais - ratos, ganso, lagartos, cavalo- , sua horta -Talvez, abóboras?! -, sua fada madrinha,  sua madrasta e irmãs postiças, o príncipe -quase- encantado Kit e um grande reino. O longa metragem que está encantando -além das crianças - jovens e adultos, por estar fazendo todos voltarem a  infância, acreditarem  nos belos bailes, e ter a certeza que,  sim, todos são princesas e príncipes se tiver coragem e ser sempre gentil, sem deixar de ser quem é.


Os atores que deram vida aos personagens foram muito bons, conseguia ver a Cinderela das histórias que meus pais me contavam pra dormir na minha frente. O príncipe Kit , a madrasta, as irmãs postiças, o Capitão amigo do príncipe e até os pais da Ella, era como se todos aquelas personagens que eu sempre imaginei tivessem saído da minha imaginação e  ido parar naquela tela.  A única personagem que deixou com um gostinho de "quero mais" foi a fada madrinha, apesar de ter AMADO as cenas que ela aparece, sinto que faltou alguma coisinha ali.


O filme foi previamente muito esperado pelos fãs dos contos de fadas, causou polemicas com as medidas da cintura da Cinderela, encantamento com o trailer e a expectativa para o longa só crescia. Nas telonas, me surpreendeu os efeitos especiais, - em principal - os da Cinderela ganhando seu vestido, carruagem e os sapatinhos de cristal e quando o relógio toca as 12 badaladas e a magia vai acabando. Não vou entrar em muitos detalhes para não estragar a surpresa de quem não viu ainda, mas a equipe está de parabéns, foi exatamente como eu imaginava a minha vida toda.

Outra coisa que em chamou muita atenção, foi a riqueza de detalhes nas imagens e o cuidado com a história. Detalhes que foram fundamentais para maior encantamento. Os figurinos são cheios de pequenos detalhes enriquecedores, os ratinhos da mocinha do filme são de verdade e eu acho que ouvi eles cantando "Cinderela, Cinderela, noite-dia Cinderela" como no clássico da Disney.


 A trilha sonora do filme tá muito boa, só faltou a marcante musica da fada madrinha "Sala cabula, mexe cabula, pipiti popiti, bum!", mas que foi compensada com a beleza e diversão da cena.
Não posso deixar de registrar aqui duas coisas: Quero um vestido igual ao da Cinderela e - obvio - os sapatinhos de cristal da princesa. É super bonito e eu usaria sem duvida alguma num baile real no qual eu fosse convidada.

Acho que em resumo desde a atuação bem feita, até os mínimos detalhes que já contei aqui, o filme está encantador e te envolve de uma forma que, sim, você ia querer colocar seu vestido real e  #PartiuBaileKitElla.


E claro que eu também sou Cinderela e tirei foto na carruagem em frente ao cinema, e é com essa foto que recomendo o longa para vocês. Quem ainda não foi assistir, corre para os cinemas e não percam esse clássico diferente daquilo que já foi mostrado! E quem já foi, me conta ai nos comentários o que achou do longa, qual a sua cena favorita?

Por hoje é só, até a próxima!

-Luiza Melo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário