TOP #5: FILMES QUE MUDARAM MINHA VIDA

Feliz quarta-feira, pessoas! Como estão todos? Espero que bem. Estamos no meio da semana, woo-hoo, apenas dois dias para o final de semana!
Hoje é dia de dicas no Disconcentra e fui a encarregada da semana. Apesar de ter tido diversas ideias do que escrever aqui, decidi fazer uma seleção de alguns ótimos filmes que mudaram minha perspectiva de vida ou me deram uma boa lição. Vocês poderão conferir os trailers na playlist no final do post. Preparados? Let's go then!

#01: Stuck in Love
Também conhecido como Writers


BÁSICO

Sinopse: Um escritor de sucesso (Greg Kinnear), sua ex-mulher (Jennifer Connelly) e seus dois filhos, Samantha (Lily Collins) e Rusty (Nat Wolff) entram nos termos da complexidade do amor em todas as suas formas durante a passagem de um ano tumultuado.
Informações: IMDB

COMENTÁRIOS DA HELS

"Apenas evite o amor a todo custo. Esse é meu lema". Essa é uma das frases que mais me lembro do filme, provavelmente por ser falada por Samantha Borgens (Lily Collins), uma das personagens de filme que mais me identifiquei em toda a minha vida. Stuck in Love se tornou um dos meus filmes favoritos por diversos motivos, mas o elenco e o roteiro (que por acaso é original, coisa muito rara hoje em dia) devem ter sido o "plus". O foco da história é uma família com três escritores - Bill (Greg Kinnear) e seus filhos, Samantha e Rusty (Nat Wolff). Bill não anda escrevendo algo há três anos, desde o divórcio, e continua no pé de sua ex-mulher, Erica (Jennifer Connelly), acreditando que ela voltará. Rusty é um adolescente "sem" experiências de vida. O típico "quase" filho exemplar, não sente medo de esconder as coisas de seu pai, o que o preocupa e o manda viver a vida dele. "Um escritor é a soma de suas experiências. Vá atrás das suas", e com isso Rusty decide agir. Enquanto isso, Samantha é a "realista" da família. Tomando como exemplo o desastroso casamento dos pais, Sam evita o amor para não se machucar. Obviamente isso se manteria perfeitamente se ela não tivesse conhecido Louis (Logan Lerman), que já mostra que não vai descansar até conquistá-la. E ela? Bem: "Você cheira a romance e boas intenções. Mas eu não estou procurando por um bom rapaz. Eu não tenho namorados. Eu não quero namorar", essa é uma de suas principais falas a ele. Dirigido (e escrito) por Josh Boone, o filme era inicialmente conhecido como Writers (Escritores), porém mudara o nome um tempo depois. O filme está trazendo boas críticas nos Estados Unidos recentemente, porém, infelizmente, não há sombra dele no Brasil. Nada que a internet não lhe ajude, não é?


#02: The Perks of Being a Wallflower
No Brasil: As Vantagens de Ser Invisível


BÁSICO

Sinopse: Charlie (Logan Lerman) é um jovem que tem dificuldades para interagir em sua nova escola. Com os nervos à flor da pele, ele se sente deslocado no ambiente. Seu professor de literatura, no entanto, acredita nele e o vê como um gênio. Mas Charlie continua a pensar pouco de si... Até o dia em que dois veteranos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), passam a a incluí-lo em seu círculo de amigos.
Informações: IMDB

COMENTÁRIOS DA HELS

Sabem aquela história de reclamar sobre a adaptação do livro em filme? Pois é, As Vantagens de Ser Invisível não pode ser (tão) reclamada sobre isso, já que a adaptação para os cinemas fora roteirizada e dirigida pelo próprio autor do filme, Stephen Chbosky. É, de longe, o filme que eu e meus amigos concordamos ser ótimo, bem feito e bem adaptado. A história, que se passa nos anos 90, é sobre um ingênio e simpático garoto de 15 anos, Charlie (Logan Lerman), que além de ter de lidar com todos os desafios do Ensino Médio e com o suicídio de seu melhor amigo, tem de manter sua saúde mental estável. Introvertido e problemático, ele acaba sendo acolhido sob as asas de dois veteranos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), que são os amigos que lhe mostrarão o mundo real. Para aqueles que não leram o livro, pode ser que haja partes que pareçam um pouco confusas, mas honestamente a intenção é essa, com o decorrer do filme tem como notar isso. Já para aqueles que leram o livro, algumas das cenas que há nele e que não tem no filme podem ser encontradas como "cenas deletadas"! Há duas coisas que amo nesse filme: os quotes e a trilha sonora. Tenho uma mania enorme de recomendá-lo toda vez que alguém me pede opinião sobre "qual filme eu deveria assistir?" por ser um dos meus favoritos (também!).


#03: Silver Linings Playbook
No Brasil: O Lado Bom da Vida


BÁSICOS

Sinopse: Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.
Informações: IMDB

COMENTÁRIOS DA HELS

Vamos começar os comentários com: até minha mãe amou esse filme. Vocês sabem como é difícil manter minha mãe acordada para assistir filmes comigo (a não ser que eles sejam adaptações do Nicholas Sparks)? Muito difícil! Na verdade, até meu padrasto gostou desse filme (e esse sim é um cara difícil de agradar com filmes, ok?). O filme que fizera Jennifer Lawrence ganhar o Oscar de Melhor Atriz por interpretar Tiffany Maxwell, é baseado no livro de Matthew Quick, O Lado Bom da Vida. Depois de passar oito meses em uma instituição de saúde mental, em Maryland, Pat (Bradley Cooper) volta a morar com seus pais com um único objetivo: se tornar uma pessoa melhor para reconquistar a ex-esposa. Enquanto isso, Tiffany - que perdera o marido - também não é mentalmente estável, perdera o emprego por ter dormido com todos do escritório e vive com os pais. Apesar de ambos serem personagens muito complexos, eles se tornam amigos, ajudam a se tornarem pessoas melhores e defendem um ao outro. Pat vê Tiffany com um acesso a sua ex-mulher, Nikki, e Tiffany o vê como um parceiro para um concurso de dança. A maior lição que esse filme (na verdade foi o livro, mas enfim) foi a buscar ser uma pessoa mais positiva, ver "o lado bom da vida" mesmo nos momentos mais difíceis. Além disso, a maior parte dos surtos do Pat chegam a ser engraçados, como vocês poderão ver logo no início do trailer.


#04: Monsters University
No Brasil: Universidade Monstros


BÁSICOS

Sinopse: Mike Wazowski (Billy Crystal) e James P. Sullivan (John Goodman) são uma dupla inseparável em Monstros S.A., mas nem sempre foi assim. Quando se conheceram na universidade, os dois jovens monstros se detestavam, com Mike sendo um sujeito estudioso, mas não muito assustador, e Sulley surgindo como o cara popular e arrogante, graças ao talento inerente para o susto. Após um incidente durante um teste, os dois são obrigados a participarem da mesma equipe na olimpíada dos sustos. A equipe, por sinal, é formada por uma série de monstros desajustados, para o desespero de Sulley, acostumado a conviver com os caras mais populares da escola.
Informações: IMDB

COMENTÁRIOS DA HELS

"Poxa, Helen, um filme de animação? Da Pixar? Da Disney? Mesmo?". Oras, por que não? A maioria dos filmes de animação deixam uma marquinha em mim, querendo ou não, desde que eu era pequena. Universidade Monstros, no entanto, fora (depois de Toy Story 3) o que deixou a maior marca. Os motivos são simples: se você tirar esse filme da animação, qual a mensagem que está passando? De uma vida universitária, claramente. É claro que no Brasil não é exatamente assim e que eles cortaram boa parte do que pode acontecer quando você deixa de ser um estudante de Ensino Médio e passa a ser um Universitário (por motivos óbvios: é uma animação). Mas a base está aí: Mike Wazowski, personagem que todos nós (ou assim espero) conhecemos de nossa infância, retrata o típico nerd, aluno esforçado, que só tira notas altas; enquanto James Sullivan é o popular, que se acha demais, que já vem de uma família com um histórico no curso de Sustos e acha que, apenas por isso, "está no papo". Quando assistimos Monstros S.A. imaginamos que a amizade dos dois vem de longa data e que sempre foram amigos, mas com Universidade Monstros vemos que a história é bem diferente. Eles eram "rivais", por assim dizer. Porém, a lição que está no filme a ponto de mexer com seus telespectadores é que: você pode ser muito inteligente na teoria, mas na prática pode ser muito diferente (no caso do Mike), ou você ser muito ruim na teoria, mas se tiver um treinamento de alguém que é bom nela, pode se sair maravilhosamente bem na prática. Uma mistura de trabalho em equipe, amizades inesperadas e como alcançar seus sonhos de diferentes formas, é assim que eu descreveria esse filme.


#05: The Internship
No Brasil: Os Estagiários


BÁSICOS

Sinopse: Billy (Vince Vaughn) e Nick (Owen Wilson) são grandes amigos e trabalham juntos como vendedores de relógios. Eles são pegos de surpresa quando seu chefe (John Goodman) fecha a empresa, por acreditar que o negócio esteja ultrapassado. Com problemas financeiros, eles conseguem a inscrição em uma seleção de estágio no Google. Mesmo sem terem a garantia que serão contratados, eles partem para a sede da empresa e lá precisam lidar com a diferença de idade entre eles e os demais competidores.
Informações: IMDB

COMENTÁRIOS DA HELS

Quando assisti esse filme no cinema, assisti por mera curiosidade: por ser de comédia, por Dylan O'Brien estar usando óculos (e ter virado um nerd maravilhoso, obrigada), e por se tratar de nada mais e nada menos do que um estágio no Google. Quem já havia visto vídeos ou fotos de como a empresa é por dentro, já devia estar impressionado e com vontade de ir até lá e ver se é verdade (mas sim, é verdade, só avisando). Tirando o cenário espetacular que aquele lugar proporciona, o filme (que também tem um roteiro original, palmas!) traz uma lição de moral por trás disso que me fez observar diversas coisas no meu dia-a-dia. Quem nunca teve dificuldades em fazer trabalhos em grupo por estar "cada um por si" ou por não ter tanta intimidade com as pessoas? Pois é, é mais ou menos nessas dificuldades que o filme toca. O fato de uma amiga minha, da faculdade, ter visto esse filme e ficado impressionada com a lição que dá ajudou Os Estagiários a entrar neste Top #5. Não importa a sua idade, o que importa é a sua experiência e o seu orgulho em compartilhar conhecimento com os outros e saber fazer isso.


Confira os Trailers:


Obs: Stuck in Love, por não ter saído no Brasil, não tem uma legenda "digna", por assim dizer. Desculpe-me!

Por hoje é só (só? Hels, você fez um post imenso)! Espero que possamos fazer mais Top #5 de filmes com o tempo, quem sabe um a cada mês com temas variados, não é?

Até sexta!
- Hels

Nenhum comentário:

Postar um comentário